Súmula bibliográfica – Pensamento Político e Social brasileiro

Publicações da área de Pensamento Político e Social brasileiro em periódicos nacionais e internacionais de junho a dezembro de 2019. Ao clicar no título você será direcionado diretamente para o artigo.

ALAMBERT, Francisco; FERRO, Tiago. Dois críticos, uma semana, um século. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, n.74, p.162-177, 2019. 

ALVES, Fabio Cesar. “Em cinza enxovalhada”: Drummond e a ditadura militar. Estudos Avançados. v.33, n.97, p.303-316, 2019.

ARRUDA, Maria Arminda do Nascimento. Roberto Schwarz e a interpretação crítica do Brasil. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, n.74, p.27-32, 2019. 

BEZERRA, Lucas. Octavio Ianni e o proletariado rural no Brasil. Outubro, n.32, p.159-179, 2019.  

BIELSCHOWSKY, Ricardo. Comentários sobre os Diários intermitentes de Celso Furtado. Cadernos do desenvolvimento, v.14, n.25. p. 231-233, 2019.

BORJA, Bruno. Desenvolvimento e política cultural: reflexões de Celso Furtado no caminho do Ministério da Cultura. Cadernos do desenvolvimento, v.13, n.25. p. 39-56, 2019.

BRITO, Leonardo Octavio Belinelli de. A presença de Gramsci no pensamento político de Fernando Henrique Cardoso (1967-1983). Hegemonia e práxis popular, n.5, p.192-212, 2019. 

CAUX, Luiz Philipe; CATALANI, Felipe. A passagem do dois ao zero: dualidade e desintegração no pensamento dialético brasileiro (Paulo Arantes, leitor de Roberto Schwarz). Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, n.74, p.119-146, 2019. 

CEVASCO, Maria Elisa. O trabalho da crítica. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, n.74, p.81-96, 2019. 

D’AGUIAR, Rosa Freire. Celso Furtado e a Aliança para o Progresso. Cadernos do desenvolvimento, v.14, n.25, p.223-230, 2019. 

D’AGUIAR, Rosa Freire. Chico de Oliveira: recordações. Cadernos do desenvolvimento, v.14, n.25, p.269-270, 2019. 

FARIAS, Edson. A inautenticidade como inflexão no esquema de Schwarz. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, n.74, p.33-60, 2019. 

FERREIRA, Ligia Fonseca. Luiz Gama autor, leitor, editor: revisitando as Primeiras Trovas Burlescas de 1859 e 1861. Estudos Avançados, v.33, n.96. p.109-136, 2019. 

GONZÁLES GARCÍA, Mónica. Das modernidades periféricas. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, n.74, p.197-214, 2019. 

HELAYEL, Karim; BRASIL JÚNIOR, Antonio. Roberto Schwarz e a sociologia paulista dos anos 1960. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, n.74, p.97-118, 2019. 

KOZEL, Andrés. La Utopía salvaje de Darcy Ribeiro. Nueva Sociedad, n.283. p.126-137, 2019. 

LIMA, Pedro Luiz. Ambivalências da derrota: lições e limites da crítica do populismo em Roberto Schwarz. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, n.74, p.215-232, 2019.

MAIA, João Marcelo E.. Costa Pinto em dois tempos: os efeitos periféricos na circulação de ideias. Tempo Social, v.31, n.2. p.173-198, 2019. 

MENEZES, Enrique Valarelli. O manuscrito inédito “Síncopa” de Mário de Andrade e sua biblioteca. Sociologia & Antropologia, v.9, n.3, p.973-985, 2019. 

QUERIDO, Fábio Mascaro. Nacional por negação: ensaio e “crítica independente” no último Roberto Schwarz. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, n.74, p.233-249, 2019. 

RODRIGUES, Lidiane Soares. As regras da subversão: Roberto Schwarz, Bertha Dunkel e a revista Teoria e Prática. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, n.74, p.61-80, 2019. 

SCHWARCZ, Lilia Moritz. Lima Barreto e a escrita de si. Estudos Avançados, v.33, n.96, p.137-154, 2019. 

SILVA, Victor José. A contribuição de Celso Furtado para a transição civilizacional e o movimento progressista: lições de Criatividade e dependência na civilização industrial. Cadernos do desenvolvimento, v.14, n.25. p.199-221, 2019. 

SOUSA, Luiz Gustavo da Cunha de. Usos do reconhecimento em Roberto Schwarz: uma tentativa de aproximação. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, n.74, p.147-161, 2019. 

TORRE, Bruna Della. Modelos críticos: Antonio Candido e Roberto Schwarz leem Oswald de Andrade. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, n.74, p.178-196, 2019. 

TORRES, Inés de. Curt Lange y Mário de Andrade; música, radiodifusión pública y política cultural em la década de 1930. Sociologia & Antropologia, v.9, n.2, p.577-595, 2019.