A ‘Guerra de Ideias’ no regime de conhecimento estadunidense: uma análise a partir dos Think Tanks ideológicos

Por Laura P. Barbosa. Analistas de Relações Internacionais estão acostumados a considerar que a formulação de política externa se subordina essencialmente a aspectos estruturais do sistema internacional, os quais impõem aos Estados determinados caminhos e possibilidades de atuação . Minha pesquisa busca iluminar um ângulo diferente da formação da política externa: os atores que promovem suas visões de mundo, apontam para problemas, sugerem soluções e buscam direcionar o posicionamento de um país no cenário internacional. Ao conjunto desses atores, que compõem a elite política que se organiza em institutos, grupos e associações, Campbell e Pedersen (2014) dão o nome de “Regimes de Conhecimento”.

RELIGIÃO E LIBERDADES TRUNCADAS: política externa e direitos humanos refletidos no curioso discurso do chanceler aos formandos do Instituto Rio-Branco

Por J. A. Lindgren-Alves
Foi muito comentado o discurso do ministro das relações exteriores na cerimônia de formatura do Instituto Rio-Branco, em 22 de outubro, pela revolta que causou. As críticas, todas pertinentes diante dos absurdos enunciados, foram provocadas sobretudo pelo abuso do nome escolhido pelos formandos como patrono da turma, João Cabral de Melo Neto, assim como pela interpretação positiva do fato de o Brasil se ter tornado um pária na comunidade internacional.