Individualismo personalista, imunidade coletiva

Por Lucas van Hombeeck
A quais forças da cultura é possível atribuir a resiliência da situação político-institucional pela qual passamos no Brasil hoje?[2] Se, por um lado, nos últimos anos as notícias não deixaram de surpreender, em especial àqueles de nós que consideravam certos valores democráticos como dados genericamente compartilhados, por outro, uma análise de processos históricos de mais longa duração pode sugerir que, na verdade, não há tanto com que se surpreender assim.

Os antepassados verde-amarelos de Bolsonaro

Por Por Bernardo Ricupero
Em 2016 fomos surpreendidos quando multidões vestidas de verde e amarelo ocuparam as ruas das cidades brasileiras para defenderem o impeachment da presidenta Dilma Rousseff. Bradavam palavras de ordem, como: “nossa bandeira jamais será vermelha”; “o gigante acordou”; “quero meu país de volta”.

De onde teria emergido essa massa que, de maneira aparentemente inédita, não tinha vergonha de defender teses de direita?

Essa gente, de Chico Buarque

Por Leonardo Octavio Belinelli de Brito
À primeira vista, Essa gente, sexto romance de Chico Buarque, parece ser uma novela escrita em forma de diário pelo protagonista, o escritor Manuel Duarte, no qual são anotadas relatos e mensagens enviadas e recebidas entre dezembro de 2016 e setembro de 2019. Porém, não se trata apenas disso, pois o livro contém passagens em que outros personagens são autores dos trechos.

1 2 3