Processo Constituinte: Os 613 dias que mudaram o Brasil

Por Antônio Sérgio Rocha. A descrição dessa dinâmica política e dos muitos atores — internos e externos à Assembleia Nacional Constituinte — é o objetivo central da cronologia 1987-1988 que elaboramos e disponibilizamos no ACERVO DIGITAL do Cedec. Para uma visão panorâmica preliminar, apresentamos abaixo um quadro das principais etapas do processo constituinte e de suas ocorrências.

Desigualdades Raciais e de Gênero nas Eleições Brasileiras: um breve panorama

Por Beatriz M. Chaves. Nas últimas eleições brasileiras, a paridade racial e de gênero foi especialmente pautada no debate público. Apesar do tema integrar a agenda política mais recente, a demanda por ações institucionais de combate às desigualdades raciais e de gênero no processo eleitoral é longínqua e se ancora no cenário de baixa representatividade de grupos não-brancos e não-masculinos em espaços políticos cujo acesso é organizado por meio das eleições.

Manifesto contra o Desmonte das Políticas de Combate à Tortura no Brasil

Por GPDH/IEA-USP. O Boletim Lua Nova divulga o Manifesto contra o Desmonte das Políticas de Combate à Tortura no Brasil, publicado em evento realizado pelo Grupo de Pesquisa em Direitos Humanos, Democracia e Memória do Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo em parceria com o CEDEC.

Evangélicos e a constituição de uma identidade antipetista religiosa

Por Vinicius do Valle. No presente artigo pretendo discorrer sobre a relação do PT com o segmento evangélico. Partimos de um breve levantamento sobre o comportamento eleitoral dos evangélicos e as alianças políticas desse grupo ao longo da nova república. Em seguida, partimos para os dados de intenção de voto do segmento nas eleições de 2022. O objetivo é demonstrar como o segmento evangélico se constituiu como a principal força anti-petista do cenário político brasileiro.

Homenagem ao Embaixador José Augusto Lindgren Alves e ao Juiz Antonio Augusto Cançado Trindade

Por Gilberto V. Saboia. O Boletim Lua Nova republica a homenagem de Gilberto Vergne Saboia ao embaixador José Lindgren Alves e ao Juiz Antonio Augusto Cançado Trindade, realizada no evento “A Importância da Reconstrução das Políticas de Direitos Humanos no Brasil”, organizado pelo Grupo de Pesquisa Direitos Humanos, Democracia e Memória (GPDH-IEA) do Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo, em parceria com o Núcleo de Direito e Direitos Humanos (Cedec), e publicada no número 116 da Revista Lua Nova.

Eleições 2022: o Brasil na América do Sul[1]

Por Talita São Thiago Tanscheit. As eleições brasileiras de 2022 são determinantes para o futuro da América do Sul. O país, além de possuir a maior economia, dispõe da maior população e extensão territorial da região. O Brasil também tem uma posição chave do ponto de vista internacional, e liderou por muito tempo a estratégia de integração e cooperação sul-americana.

Quem tem medo de Julio Antonio Mella?

Por Deni Alfaro Rubbo. A breve trajetória do intelectual-militante cubano Julio Antonio Mella (1903-1929) pode ser comparada a um filme de ação com desfecho trágico. Como se Mella tivesse vivido diversas vidas em uma só, guiado por uma inabalável profissão de fé: a ação revolucionária. Marxista subversivo, incendiário e romântico, foi um dos personagens mais emblemáticos e emocionantes da história da esquerda latino-americana.

O futebol e a produção currículo-pedagógica das diferenças no Pantanal

Por Tiago Duque. Em uma pesquisa finalizada recentemente (DUQUE, 2020), estudei gênero, sexualidade e diferenças na fronteira Brasil-Bolívia, mais precisamente no Pantanal de Mato Grosso do Sul. Lá, há quase duas décadas, há o “Amistoso da Diversidade”, uma partida de futebol anual composta por dois times, o das “Poderosas” e o das “Imbatíveis”, formados exclusivamente tanto por gays como por travestis, sendo, respectivamente, um da cidade de Ladário e o outro de Corumbá. O estudo envolveu entrevistas semiestruturadas e etnografia on-line e off-line. A análise se deu a partir de uma perspectiva teórica pós-crítica (PARAÍSO, 2014).

Resgatando velhas teses: perspectivas eleitorais para a Câmara dos Deputados em 2022 

Por Raul Bonfim e Vítor Sandes-Freitas. Dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) apontam que 87% dos deputados federais eleitos em 2018 irão concorrer à reeleição esse ano. Esse percentual representa um aumento de 8% em relação à legislatura anterior. Em artigo publicado no jornal Valor Econômico, Joyce Luz destaca que entre 1990 e 2018, em média, 64% dos deputados federais que disputaram a reeleição obtiveram sucesso. Segundo a pesquisadora, caso esse padrão se mantenha, existe alta probabilidade de que mais da metade dos assentos da Câmara dos Deputados sejam novamente ocupados por incumbentes.

Os burocratas de nível de selva: por um novo olhar sobre os indigenistas

Por Leonardo Barros Soares. Começo esse texto com duas confissões. A primeira é que fiquei emocionalmente muito abalado com as mortes do indigenista Bruno Pereira e do jornalista britânico Dom Phillips no Vale do Javari em meados de junho. Por dever de ofício e, sobretudo, por ser humano, acompanhei o drama cujo desfecho trágico é de conhecimento de todos. Não consigo, no entanto, até hoje, conhecer os detalhes de tão pavoroso evento. Tampouco consegui ouvir o vídeo que tanto circulou nas redes sociais de Bruno cantando uma canção indígena. Não consigo e nem sei se conseguirei um dia. Dá para ver, na imagem sem som, que ele está feliz, no meio da floresta. Eu sei que é um momento muito bonito, muito delicado e absurdamente humano. Por isso não consigo. É demais para mim.