Mídias sociais, teorias da conspiração e estratégias eleitorais

Por Thatiane Moreira i
Mesmo antes das redes sociais se tornarem parte da rotina de muitos indivíduos, as falsificações de notícia seguiam ritmo intenso.[2], O que ocorreu nos últimos anos foi a ampliação do alcance e aprofundamento do processo de desinformação, atacando as verdades que poderiam ser objetivamente descritas.

A democracia sob o capitalismo de vigilância: análises preliminares da influência tecnológica nos processos eleitorais

Por Géssica de Freitas e Jade M. Becari
A era do capitalismo vigilante caracteriza-se como uma nova ordem econômica que reivindica a experiência humana como matéria-prima gratuita para práticas comerciais ocultas de extração, previsão e vendas. Trata-se de uma expropriação de direitos humanos que é melhor entendida como golpe de cima: uma derrubada da soberania do povo.